INSTITUTO DE MÚSICA DE LISBOA

Inês Simões

Canto
Ines Simoes

Inês Simões

Canto

Biografia

Inês Simões é Mestre em Artes, Estudos Vocais Avançados, pela Wales International Academy of Voice, onde estudou com Dennis O’Neill, e em Canto pela Guildhall School of Music and Drama, onde ganhou o Tracey Chadwell Memorial Prize, participou no curso Opera Works da English National Opera, e coordenou o projecto Mini Operas. É licenciada pela Academia Nacional Superior de Orquestra.
Participou em masterclasses com cantores, pianistas e maestros de renome internacional, como Kiri Te Kanawa, Richard Bonynge ou Graham Johnson. Ganhou o 3º lugar do Prémio Jovens Músicos 2010 e o 2º lugar no Prémio José Alegria em 2008.
Em ópera, trabalhou com os maestros João Paulo Santos e Paul McCreesh, os encenadores Figueira Cid e Fernanda Lapa, e ao lado de cantores como Michael Chance e Gilles Ragon. Apresentou-se em várias cidades do país e europeias, no âmbito do projecto europeu ENOA, assim como em vários festivais em Londres, nos papéis de Xivi e Nhandeci (Onheama de João Guilherme Ripper), Giulia (La Scala di Seta de Rossini), Isla (The Fisherman’s Brides de Lucie Treacher, Rita (Rita de Donizetti), Clarice (Il Mondo della Luna de Haydn), Contessa (Le Nozze di Figaro de Mozart), Bubikopf (Der Kaiser von Atlantis de Ullmann), Susanna (Il Segreto di Susanna de Wolf-Ferrari), Bastienne (Bastien und Bastienne de Mozart) entre outros.
Inês apresenta-se regularmente em recital e é uma grande entusiasta de música contemporânea, tendo cantado para o Oxford Lieder Festival, Song in the City Concert Series, Barbican Hall, Barbican Pit, Sadler’s Wells, London Coliseum, British Museum, Millennium Centre, BBC Radio 3 In Tune e Antena 2.
Em 2015 lançou o seu primeiro Cd – Alma Ibérica – pela Editora Discográfica Sonus Music. Esta colaboração com o pianista Daniel Godinho recebeu o Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete 2013 pela Fundação Gestão dos Direitos dos Artistas e visa a divulgação do repertório ibérico de canção lírica.
Em oratória estreou-se no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian em Solomon de Handel, interpretando na temporada seguinte o Messias. Participou ainda em obras de Marcos de Portugal, Rossini, Schubert, Rutter e Orff.
Inês Simões voltou ao Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian para um concerto sob a direcção de Magnus Lindberg, com novas obras compostas para a sua voz, o que a levou a estrear a ópera Play de Jamie Man, com direcção de Hannu Lintu, para a mesma instituição.
Entre as próximas aparições contam-se o papel de principal em Hansel und Gretel para o Ensemble d’Arcos e um recital Alma Ibérica em Paris.